OFICINA DE TAMBORES

A Oficina de Tambores com Kako Xavier recupera e divulga a história dos tambores gaúchos.

É oferecida para atuação de forma coletiva no combate ao racismo e no reconhecimento da etnia negra como parte formadora do povo gaúcho, através de atividades práticas os participantes se envolvem com a história dos tambores do sul do Brasil.

Indicada para os alunos de escolas públicas e particulares, a atividade contempla o número de crianças a definir com a Escola. Também para os professores, considerados multiplicadores desta informação, o conteúdo da oficina é distribuído nas seguintes atividades:

O CANTAR, onde apresentamos nossa forma de vivenciar os cantos ancestrais em formato de quadrinhas, trazendo para os dias de hoje cantos que identificam nossa atual situação cotidiana.

O DANÇAR, onde entendemos a importância da expressão corporal como desbloqueador de emoções ao cantar. O corpo em atividade coletiva, favorece o entendimento rítmico dos participantes na direção proposta pelo artista.

O TOCAR, centrado em sentirmos o toque do tambor, sua sonoridade e importância histórica, nos engajamos nas ações de combate ao racismo e reconhecimento da importância da etnia negra na cultura gaúcha, com um olhar mis positivo e menos estigmatizado. É com o toque do tambor, na prática, que percebemos o crescimento do envolvimento na atividade, unindo a arte do canto, com a arte da dança, contemplando a parte musical.

Os instrumentos apresentados mostram a sua importância e o lugar que representam:

O TAMBOR DE SOPAPO, Patrimônio Imaterial Pelotense, tambor das charqueadas de Pelotas, representa a força maior da ancestralidade dos nossos instrumentos.

O TAMBOR CHICO, tambor uruguaio que identifica a região da fronteira com o RS.

O TAMBOR PRAIEIRO, criado pelo artista Kako Xavier, é apresentado como protagonista da oficina. O artista e pesquisador, se baseou no Maçambique (ritmo afrocatólico do litoral norte do RS), para lançar o novo tambor do sul do Brasil. Na oficina também é apresentada a forma de construção artesanal dos tambores.

A oficina contempla a criação de uma música, composta coletivamente, que mostre a atividade como um todo.