O ARTISTA

Kako Xavier é um artista gaúcho, dedica sua carreira para propor um novo olhar sobre a Etnia Negra Brasileira. Com ações mais positivas e menos estigmatizadas, vem contribuindo na recuperação da história dos tambores e fortalecendo a visibilidade da presença negra na cultura do Rio Grande do Sul.

Em 2022 comemora 28 anos de carreira, com a gravação do seu novo álbum  “O Baile da Tamborada”.

O artista se orgulha de conquistas como, inserir os ritmos negros na cultura regional do RS, a criação do Tambor Praieiro, da Praia do Laranjal, identificando a presença negra no litoral sul, indo na direção do litoral norte do RS, com os Quiqumbís e Maçambiques. 

Suas ações o levaram a receber a medalha Honra ao Mérito "Mestre Batista", assim, teve presença marcante quando Pelotas se auto declarou "A cidade do Tambor de Sopapo", levando seu show Tamborada para a Virada Cultural, recebendo das mãos da Prefeita de Pelotas, o decreto de reconhecimento do Tambor de Sopapo, tombado em  2021 como Patrimônio Imaterial da Cidade de Pelotas/RS.

Em 2021 Kako Xavier recebeu o prêmio Trajetórias, da Lei Aldir Blanc e neste vídeo conta um pouco da sua históriaO artista relembra momentos importantes, chegando aos 28 anos de carreira solo com uma história de arte, parcerias, festivais, destacando seu atual momento na Produção Cultural. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com seu trabalho de pesquisa, se apresentou com o grupo Alabê Ôni, por todos os Estados da Federação, nos anos de 2013 e 2014, no projeto Sonora Brasil/SESC DN. O artista acredita que o caminho para o futuro deste conteúdo é o ambiente da educação, assim realiza oficinas e leva este saber para as escolas da rede pública do RS.

Kako Xavier é um artista inquieto e também produtor cultural. Idealizou os projetos: 
Minha Praia, A Casa do Tambor, Tamborada, Tamboradinha, 
Rio Grande Negro do Sul, F I L - Festival Instrumental Laranjal, África no Sul, A Turma do Tamborito e durante a pandemia o elogiado Salve Arte Festival.

DESTAQUES E CONQUISTAS

1º show Afro na história do Planeta Atlântida, 
Vencedor do Projeto Pixinguinha – Funarte/MinC, 
Representante da etnia negra na Ópera Gaúcha – Expointer, 
Acorde Regional Brasileiro, nos anos de 2009 e 2015, em POA/RS,
Apresentação com artistas latino-americanos no MTV Tordesilhas,

Participação no Caminhos do Prata, Montevidéu/UY,

Destaque no Sons de Verão de Imbé/RS,

Show no Porto Alegre em Buenos Aires/ARG. 

É um dos artistas mais premiados nos festivais de música regional do RS.

DISCOGRAFIA

O artista tem cinco CDs e um DVD gravados, acompanhe um pouco desta obra.

PAGAPRAVÊ/1995, BALANÇO DOIDO/1999, SERVIÇOS LEVES/2005, MINHA PRAIA/2009,  ALABÊ ÔNI/2012, AGORA SOMOS NÓS 2018

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
1/1